Location, location, location!

Quando chegou a hora de escolher o lugar onde vamos nos casar, eu percebi que provavelmente estava arranjando sarna pra me coçar. O local define muito sobre todo o resto do casório e, principalmente, define boa parte dos seus próximos gastos.

Casar na igreja. Não estou falando de ter uma cerimônia religiosa ou não. Estou falando de casar num templo, numa igreja de verdade. Por mais que eu já tenha visitado igrejas liiiiindas durante toda a minha vida, não é uma idéia que me atraia. A arquitetura rebuscada, os vitrais, abóbodas imensas, etc… isso até que me atrai. O que não me atrai nem um pouquinho é ligar o dia do meu casório à uma instituição específica, ainda mais uma denominação religiosa. Nem vou entrar no mérito da questão, eu sei o quanto é polêmica. Imagine a cara da minha sogra quando ouviu isso da minha boca. Ooops! Foi algo assim:


Tradução da cara: “Mas que #$*& é essa que você acabou de dizer???”

Tá, não tem só a questão ideológica. Como boa romântica que sou (provavelmente a última), gosto de casórios ao ar livre e durante o dia. Tudo fica mais lindo ao ar livre, ainda mais durante o dia. As fotos saem mais coloridas, mais vibrantes, com uma luz natural sensacional… Meus pais casaram ao ar livre! E não conheço ninguém que ao respirar um pouco de ar puro rodeado de muito verde não se sinta totalmente renovado. Enfim, eu encontrei minha praia muito facilmente. Aliás, antes meu sonho era casar na praia. Mas depois de analisar como minha pele e cabelo reagem à maresia e pesar na balança as questões logísticas, desisti.

Outra coisa que pesa nesse negócio de casar na igreja é a questão de ter que arranjar um outro local pra recepção. A não ser que sua igreja tenha um salão bacana, infra-estrutura e o escambal, dificilmente você vai escapar de ter que alugar um salão de festas pra recepção. E aquele negócio de ter que “encontrar” dois lugares diferentes no mesmo dia não me parece muito prático. Sem falar que tem um monte de igrejas que insistem em meter o bedelho nas músicas que você escolheu pro casório ou no design do vestido da noiva! Me desculpe, mas controle criativo pra mim vale centenas de vezes mais que uma bela abóboda (control freak, eu? magina!). E assim, igrejas ficaram fora de cogitação pra mim.

Casar no campo. Um casamento campestre, com cara de serra, cercado de natureza. Muita gente curte esse estilo, tanto que tem milhares de chácaras por aí investindo no aluguel do local pra eventos e casórios. Já vi fotos lindas. O lado bom de fechar com uma dessas chácaras é que eles tem tudo: a infra-estrutura, o buffet, o decorador, o manobrista… TUDO mesmo! O lado ruim é que aqueles locais com preço acessível geralmente contam com um decorador que poderia facilmente ser figurinista do bloco infantil da Carla Perez. Enfim, pacotes prontos podem não ser tão sensacionais quanto parecem. Parece muito “fast-food”, pronto pra consumo, impessoal e igual ao de 1500 outras noivinhas. Se você não é fã do clichê noiva-entrando-de-carruagem, provavelmente vai desgostar esse tipo de serviço tanto quanto eu.

Um dia minha tia ofereceu a casa dela para o nosso casamento. Sim, foi bem do nada, just like that. Uma casa linda e imensa num condomínio residencial muito chique dentro de uma reserva ecológica. É como uma pequena Dinamarca, um universo paralelo de gente muito abastada! Uma casa no alto de um monte, cercado de pinheiros, carvalhos e esquilos (Sim! ESQUILOS iguais aos de filme!). Árvores lindas e caducifólias na beira de um lago, o ambiente perfeito pra um casamento de outono. Além disso, ainda tem o clube do condomínio, charmoso e ótima opção pra recepção! Isso tudo FREE! O porém? A área é residencial, e eu ainda não tenho muita noção de quantos impedimentos isso vai me trazer. Outro porém é o espaço físico. Pra duas pessoas cujas famílias ultrapassam a casa das dezenas, fazer um casamento simples, íntimo e familiar pode ser um problema. Fico pensando se vai caber todo mundo, se vai ficar bonito ou lotado demais… Enfim, nada é perfeito e toda moeda tem dois lados.

Portanto, até o momento, continuo com a minha locação dos sonhos. Em que momento ela vai se transformar na locação dos pesadelos, ainda não sei. Já li em muitos sites e revistas que “casar em casa” não é tão fácil e simples quanto parece, afinal de contas você ainda tem que contratar manobrista, decorador, buffet, etc… E a praticidade de um salão de festas alugado é incomparável. Mas o que a maioria das pessoas não entende é que talvez eu realmente NÃO queira um casamento prático num salão de festas sem graça! Por que não preferir algo que tenha mais significado, que seja mais próximo do seu coração? Pois é o que eu prefiro. Em nome da minha completa satisfação, chutei o pau da barraca e agora estou pagando pra ver se a barraca vai cair em cima de mim. Quem dá mais?

Anúncios

3 thoughts on “Location, location, location!

  1. Querida, é a primeira vez que visito seu blog (adorei!). entendo todo este conflito, também passo por isso… estou na luta à procura do lugar perfeito (sou de Salvador) e tudo o que não quero é um salão de festa sem graça! Quero verde, ar livre, sol! E as pessoas não entendem isso… Mas insisto, não desista! Temos que sonhar os NOSSOS sonhos! Boa sorte, um beijo!

    • Que bonito isso!!! Concordo plenamente, temos que sonhar nossos sonhos! Delícia de comentário esse seu! Boa sorte em tudo no casório! Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s