Dossiê Lua de mel – parte 1

O planejamento do casório está difícil e estressante? Você já não aguenta mais ouvir falar de orçar buffet, decorador, fotógrafo e o escambal? Sua sogra, sua mãe, sua tia, sua prima, sua chefe e sua vizinha diariamente palpitam nas suas escolhas ou no que você supostamente deveria escolher pro casamento? Seu noivo convidou 57 colegas de trabalho pra recepção? Pois bem, quando a palavra “casamento” começa a te dar calafrios, esvazie os pensamentos e pense naquilo que vai fazer TUDO valer a pena:

A lua de mel!

Siiiiiim! A lua de mel é um daqueles típicos momentos que faz todas as chatices do casório valerem muito a pena. Mas muitas noivas, sobrecarregadas com todos os outros preparativos, acabam se esquecendo desse item importante a ser planejado. Claro, nenhuma lua de mel é igual a outra. Existem alguns vários tipos de lua de mel, um para cada tipo de casal, se adequando ao perfil de viajante dos mesmos. Vejamos alguns perfis de viajante:

1. Os turistas. Gostam de viajar pra fazer turismo de verdade. Conhecer todos os pontos turísticos, seja da cidade que for, fazer programas culturais, tirar foto até não poder mais, andar, andar, andar… Ou seja, o casal turista é um casal canseira! Se você vir um álbum de lua-de-mel com mais de 100 fotos, pode apostar que eles são turistas. Me pergunto se sobra energia pra namorar depois… hehehe…

2. Os shopaholics. Pros shopaholics, viajar rima com comprar, gastar e comprar de novo! Viciado em comprinhas, é aquele que quer sair pra conhecer todas as possíveis lojinhas da cidade e que acaba pagando excesso de bagagem depois por conta de tanto souvenir que comprou pra levar pros parentes. Muitos poucos homens são viajantes shopaholics, mas pode crer que existem! Se você for ao aeroporto e esbarrar num cara que claramente não é capoeirista, mas carregando um berimbau amarrado à mala, pode apostar que você encontrou o viajante shopaholic.

3. Os gastronômicos. Viagem pra eles tem que ser gastronômica. Conhecer novos pratos, sair todo dia pra conhecer um restaurante novo da cidade é tarefa mandatória! São semelhantes aos shopaholics, mas gastam com comida. Se for uma praia deserta, ele caminha o que for preciso pra achar uma sorveteria e provar alguma coisinha diferente, tipo sorvete de umbú com cajamanga! Voltam do aeroporto direto pra academia.

4. Os devagares. Viagem pra eles é sinônimo de descanso. O uniforme oficial é um par de havaianas. Por isso, eles geralmente preferem a praia. Nada de praia badalada. Eles vão nas mais tranquilinhas, desertas, ficam em pousadas de charme, comem, dormem, pensam na morte da bezerra, leêm livros, ouvem música, tomam sol, pensam na morte da bezerra de novo e voltam de lá super satisfeitos. É um turismo slow motion.

Eu poderia exemplificar alguns outros perfis de viajantes, mas com esses já dá pra ter uma noção da diversidade de viajantes no mundo. Você pode ser uma viajante shopaholic e o seu noivo pode ser um viajante devagar. Se você não pensar direitinho no que sinceramente espera dessa lua de mel e qual perfil de viagem quer atender, pode acabar sendo um período de expectativas frustradas. Se o seu objetivo é passar momentos românticos com seu amado, não pense na lua de mel como a maior e melhor viagem da sua vida, nem tente realizar aquela viagem dos sonhos, tipo conhecer a Patagônia, escalar o Everest, conhecer 15 países europeus em 3 dias ou nadar com peixe-boi na Amazônia. Essas viagens vocês vão ter tempo pra fazer depois. O foco não pode ser só o lugar. Tente enxergar esse momento baseado no perfil de ambos, sempre em dupla perspectiva.

Tem casal que não vê a hora de chegar a lua de mel pra namorar muuuuuito. Tem casal que não vê a hora de chegar a lua de mel pra se divertirem horrores nas baladas. Geralmente, se o casal já viajou junto outras vezes, se já mora junto, se namoram há 15 anos, tudo isso influencia no estilo de lua de mel que vocês terão. Um casal de turistas que já mora junto há 3 anos pode odiar passar 1 semana numa praia deserta de um povoado isolado do Alagoas. Assim como um casal devagar e novinho pode ficar cansado de visitar todas as atrações indispensáveis de Barcelona e resolver passar o dia todo no hotel. Sacou a importância da sensibilidade na hora de escolher o local? O bom mesmo é sentar e conversar com o noivo, trocar idéias sobre o que cada um espera de uma lua de mel dos sonhos. Não precisa ser pra nenhum lugar badalado, caro ou no raio que o parta! Tudo vai depender do seu perfil.

Já escolheu que tipo de viagem quer fazer? Beleza, agora pense meteorologicamente falando. Não adianta querer visitar Campos do Jordão em Janeiro, pois nunca será tão legal quanto em Maio, Junho e Julho, que são os meses em que bate aquele friozinho gostoso. Visite sites de viagem, leia resenhas de hotel, informe-se. Se possível, seja sua própria agente de viagens, monte os roteiros, faça e aconteça! Pode ser infinitamente mais divertido do que comprar um pacote. Mas só o faça se tiver disposição pra coisa. Caso contrário, a CVC tá aí pra isso. Mas, mesmo que você faça o perfil turista, não compre pacotes com um milhão de passeios programados. A não ser que seja algo que vocês dois queiram muito, lua de mel é (ou deveria ser), basicamente, um momento de romance, namoro e tranquilidade. Não tem nada menos romântico que sair pra um passeio de buggy com meia dúzia de outros turistas suados e “à milanesa”. Eca!

Aguarde a parte 2!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s