Fofurice

Foto: Ashley Garmon

Anúncios

A saga videográfica

Uma vez li uma coisa muito certa: Todo casal que vai casar alguma vez já pensou em não ter vídeo no casamento pra economizar. Isso acontece porque, desde os primórdios, vídeo de casamento é uma coisa chata, brega, insuportável de assistir e que ainda custa caro. Acredite em mim, apesar de ainda ser uma coisa cara, hoje a coisa melhorou muito desde aquela época em que a trilha sonora do vídeo de casamento era música do Kenny G. E, por mais que a gente ache que contratando um fotógrafo sensacional (o que é o meu caso! iupi!) o vídeo do casamento não vai fazer falta, ele faz sim. É o registro do seu dia com sons e movimentos, fiel à realidade, seja ela emocionante ou uma videocassetada de casamento! No futuro, seus filhos poderão assistir ao vídeo e ouvir “como a voz do papai e da mamãe era diferente” ou coisa assim, citando o argumento muito válido da nossa linda fotógrafa, Rejane Wolff.

Meu sonho era mesmo ter a equipe do Stillmotion no meu casamento. E eles, definitivamente, ficariam muito felizes de realizar esse meu sonho, desde que eu pague a bagatela de 20 mil reais. Infelizmente, se eu resolvesse trazer o Stillmotion pro meu casório, provavelmente teria que casar de calça jeans e allstar na igreja do meu tio, porque seria de graça, e serviria hotpocket da Sadia na recepção! Hehehehe…

Achar um bom videógrafo no Brasil é bem mais difícil que achar um bom fotógrafo. Posso contar nos dedos das mãos e dos pés os fotógrafos do Brasil que, além de produzirem imagens de qualidade sensacional, ainda tem as manhas de captar aqueles momentos que dinheiro nenhum pode pagar, sem ser aquela coisa clichê que se vê em 8 de cada 10 álbuns. São fotógrafos que realmente contam histórias através de seus álbuns. Eles estão ali para documentar o dia mais importante da sua vida, interferindo o mínimo possível. Claro que eles podem “dirigir” algumas fotos, pedir que pose assim ou assado, mas ainda assim ele tem que ter a sensibilidade de captar não só aquele movimento ensaiado, mas as pessoas e os olhares que jamais se ensaiam. Isso que é gostoso de ver num álbum de casamento, pelo menos na minha opinião. E para isso não basta só ter o melhor equipamento e técnica. Isso é puro feeling, sensibilidade mesmo.

Com o vídeo, o drama é similar. Você tem que encontrar o profissional que capte imagens de qualidade, aquelas que hipnotizam o olhar de tão bonitas. Mas não basta só isso. É preciso encontrar a melhor edição, com os melhores métodos de captação de áudio, as idéias mais frescas e as cenas mais espontâneas. Pós-produção em vídeo de casamento é 50% do jogo. Não é tão fácil achar esses bons profissionais de vídeo aqui no Brasil, principalmente quando a internet facilita o acesso aos vídeos de profissionais estrangeiros do cacife de Cana Video, Joel Serrato e StillMotion, a gente acaba ficando ressentido com as poucas opções que nos são oferecidas aqui.

O Nando Federice escreveu uma vez um post com informações pra ajudar a entender os tipos de vídeo de casamento e os diferentes métodos de trabalho usado pelos profissionais da área. É um relato muito bom pra quem não entende muito do assunto e te põe a faca e o queijo na mão pra hora de fazer a “sabatina” no videógrafo que se pretende contratar. É bom assistir mais do que somente um “trailer” dos vídeos que o profissional faz. Se puder, veja os vídeos na íntegra, repare em tudo e tenha em mente o que você quer e o que não quer no seu vídeo. Faça sua lição de casa e tenha noção total de como você gostaria que fosse seu vídeo.

E uma coisa muito importante que é pouco falada: OS NOIVOS FAZEM TODA A DIFERENÇA! Sim! Vocês são os atores principais desse filme, então vocês tem que fazer valer esse posto de protagonista, né?

Vou exemplificar. Ontem eu estava assistindo o vídeo de casamento de um amigo, o Marcos Botelho. O vídeo dele foi feito por um profissional do Rio de Janeiro (ele casou lá), o Edu Corrêa. O trailer já foi ótimo: as imagens em alta definição, edição super alto astral, divertido… Aí o Marcos publicou o vídeo integral do casório, com 30 minutos de duração. E é simplesmente um dos melhores vídeos de casamento que eu já vi. Sério, assisti sem bocejar nenhum minuto. Me emocionei e dei risada junto com meu noivo. Pensei: “Uau, é esse o cara que eu quero que filme meu casamento! Tem que ser ele!” Fiz um orçamento e veio o veredito: Edu não tinha mais a minha data disponível pra filmar em SP. Deu vontade de chorar, um desespero de não conseguir encontrar mais ninguém que tivesse esse “estilo”. Aí fui olhar o site de um outro videógrafo muito bom de Campinas, com quem eu já havia feito contato anterior. Os vídeos dele também tinham imagens lindas e em alta definição, mas faltava alguma coisa que eu não sabia explicar. Quando voltei ao site do Edu Corrêa e fui assistir vídeos de outros casais que ele já filmou, constatei: NENHUM deles era legal como o vídeo do Marcos e sua esposa! Sabe qual era a diferença? O casal! A qualidade dos vídeos era a mesma do meu videógrafo de Campinas, o estilo de edição era parecido e tudo o mais… A única coisa que mudava: a energia do casal.

Um casal sem graça nunca terá um vídeo super divertido, não importa quem eles contratem pra filmar o casório. É preciso se soltar diante das câmeras. É preciso assumir sua parcela de responsabilidade sobre o vídeo de casamento e se emocionar, relaxar, sorrir, chorar, fazer careta e amar diante das câmeras, sem vergonha de ser você mesmo. A Sammia fala mais sobre isso em seu blog, onde publicou um guia de filmagem de casamento INDISPENSÁVEL, dividido em dois posts: 1 e 2. Eu recomendo altamente que você que está enlouquecida procurando um videógrafo bom, vá lá e leia TUDO antes de fechar com quem quer que seja (a não ser que seja StillMotion! Aí pode pular essa fase! hahaha!). E bom vídeo pra você. 😉

Curtindo o curto

Vestido de noiva curto é pra quem pode. Pra quem está com as pernas em dia, com certeza. E algumas moçoilas tradicionais podem torcer o nariz, com aquele argumento: “Mas quando você vai poder usar de novo um vestido de noiva longo nessa vida?” Bem, eu retruco: “Mas quando você vai poder usar de novo um vestido de noiva curto nessa vida?” Dá na mesma, não se deixe enganar.

Dizem que depois que você escolhe o vestido, todas as outras coisas se encaixam no lugar. Não sei se é bem assim. A minha experiência me traiu um pouco, já que eu tenho boa parte das coisas do casório já decididas, mas ainda não consegui definir um croqui definitivo pro vestido. Parece que quando você é a designer, são tantas idéias que vão pipocando da cabeça que você acaba cheia de opções que você adoraria usar, mas sem coragem de escolher só uma! E essa enrolação tem que acabar nos próximos dois meses, que é quando o vestido começa a ser feito.

Eu já passei pela fase do longo de princesa, longo bohemian, longo romântico e atualmente estou numa fase meio termo entre todas essas. Mas meu coração tem um fraco pela primeira fase pela qual passei, quando eu ainda desejava um casamento na praia (ai, frizz!): O vestido curto. Não acho que uma noiva é menos noiva por conta de um vestido curto. Algumas das noivas mais especiais e lindas que já vi usaram vestidos curtos (inclusive minha mamy!). E é à ele, o branquinho da noiva mais descontraída, que eu dedico este post. Com vocês, o vestido de noiva curto.

Vestidos: Romona Keveza

Vestidos: Samuel Cirnansck

Audrey Hepburn em seu 2º casamento

Vestidos: Stephanie James Couture


Cinderela moderna

As últimas coleções das semanas de moda noiva pelo mundo afora apenas confirmaram: noiva gosta mesmo de se sentir uma princesa. O vestido de baile (ball gown), mesmo que não seja sua opção para o grande dia, com certeza arranca uns suspiros daquela menininha que existe dentro de você, sonhando com o vestido perfeito pra encontrar o príncipe encantado. Na escolha do melhor vestido de Cinderela, a regra é clara: quanto maior, melhor. E se joga no tule, claro! Qual é o seu favorito (se é que é possível escolher só um)?

Oscar de La Renta

Vera Wang

Lazaro

Reem Acra

Anne Barge

Amsale

Badgley Mischka

Eugenia

Monique Lhuillier

Rosa Clará


Day is the new black

Cerimônias de casamento à noite costumavam ser o pretinho básico de todo casal. Era o combo cerimônia + jantar o coringa na hora de planejar seu casamento. Mas as coisas estão mudando. De repente, vejo uma enxurrada de casamentos diurnos tomando conta de revistas. Claro que casamentos diurnos não são novidade internacionalmente, até porque nos EUA (maior trendsetter da área), a maioria dos casamentos começa à luz do dia, com jantar provavelmente servido às 18hs. Mas aqui no Brasil isso demorou a pegar, até recentemente.

A moda agora é casar de dia. Com a profusão de casamentos campestres e praianos, casar de dia começou a virar sonho de consumo de muitas noivinhas por aí. Nas revistas de noiva já é possível ver muitas cerimônias assim, e a luz natural geralmente contribui para fotos infinitamente melhores do que as fotos de casamentos noturnos, o que torna tudo ainda mais bonito e atraente. É fascinante. E, a não ser que você seja vidrada em glamour (do tipo que só um jantar black tie tem), você também corre sério risco de se render aos encantos de um casamento diurno.

Minha mãe casou de dia. Eu também sempre tive essa vontade, desde aqueles velhos tempos de brincar de noiva com a cortina na cabeça. Fico feliz de saber que muitas noivas estão finalmente enxergando as vantagens de um casamento diurno, que vão além das fotos sensacionais: o retorno dos convidados não acontece de madrugada; você pode gastar bem menos em iluminação se a cerimônia e recepção acontecerem com luz natural; o dress code pode ser mais informal (eu disse pode e não DEVE, como também pode ser super formal! Não se deixe enganar pelo horário também, hein?) entre outros pormenores.

Resumindo, casamentos diurnos são tudo de bom e de melhor! Mas vale lembrar que modinhas vem e vão, e o melhor é sempre fazer aquilo que tem mais a ver com sua personalidade, e não se deixar levar pelas fotos bonitas com que as revistas nos bombardeiam. Obviamente, também tem coisas que só um casamento noturno poderá fazer por você, e são igualmente encantadoras, mas isso eu deixo pra um outro post.

Fontes: 1. Once Wed / 2. Brooklyn Bride / 3. Snippet & Ink / 4. Rock’n’Roll Bride / 5. Rejane Wolff