Manual: Como entrar na onda do colorblock sem parecer fã do Restart?

Este post é para vocês que curtem um estilo básico, clássico, mas também gostam do que vêem nas vitrines para este verão que está chegando. Você vê aquele monte de roupa colorida e fica imaginando que é IMPOSSÍVEL sair de casa desse jeito sem parecer louca e desenfreada. Mas calma, isso é só a primeira impressão. Claro que, como TUDO nesta vida, bom senso nunca é demais. Se você se olhou no espelho e se sentiu vestida pro carnaval, então volte e troque de roupa, né?

Você que está morrendo de vontade de usar aquela calça colorida, mas fica com medo de parecer o Tiririca ou ser confundida com uma fã do Restart, seus problemas acabaram! Separei algumas idéias pra você entrar nessa onda linda e colorida do colorblock e sair colorblockando feliz da vida, sem pagar mico.

Dica 1. Escolha peças super lady-like. Ou seja, MUITA feminilidade e leveza nessa hora!

Dica 2. Dobre a barra da sua calça colorida. Suba a barra das canelas e ganhe um charme “anti-restart”.

Dica 3. Experimente acessorizar! Bolsas e sapatos chamam menos a atenção do que peças maiores!

Imagens via Pinterest.

Batom Tracta Blogs

Você já deve conhecer essa marca há bastante tempo. Fácil de encontrar (em qualquer Renner a Tracta tem cadeira cativa!), preço super camarada e qualidade muito além da esperada. Meu caso de amor com a Tracta é antigo… Meu primeiro lápis de olho pretão-mega-macio foi da Tracta. O único que ficava realmente pretão, parecia Kajal! E, mais tarde, o corretivo passou a incorporar minha make diária. Aliás, o corretivo da Tracta é um dos produtinhos bafônicos que muita gente ama de paixão e acabou adotando, como eu. Tem gente que diz que ele é melhor que o da MAC! Não sei bem, até porque eu nunca usei o equivalente (líquido) da MAC. Mas eu usei o Studio Finish e um na mesma pegada do Duda Molinos. Ainda prefiro o da Tracta. Pronto, podem atirar pedras e pincéis, vai!

Mas não vou falar do corretivo, e sim do BATOM da Tracta. Nunca tinha usado nenhum da marca e fiquei bastante comovida com a qualidade desta coleção Tracta Blogs (feita em parceria com blogs de moda e maquiagem que a gente adora!). Comprei o batom desenvolvido pela Ane Medina, do blog EuMaquio.com, e devo dizer que é a puro verão, minha gente! Segundo a própria Ane, sua inspiração foi a misturinha feita pela maquiadora Pat McGrath ( aplausos! ) para o desfile da Nina Ricci 2011. É um coral com fundo rosado, cremoso, mega hidratante mas sem brilho, boa cobertura e pigmentação. Enfim, tudo do bom e do melhor num batom. A cor fica mais fechada se eu usar sobre o tom natural da minha boca. E se eu “apagar” minha boca com corretivo antes, fica mais aceso, quase neon.

Na foto (sem flash), 2 camadas de batom. Cor bem próxima da real.

Claro, lembre-se que não é MAC! Não vai comprar um batom de 15 reais e esperar a mesma cobertura louca e sensacional da MAC, né? Mas é um batom MUITO digno, merece todo o nosso respeito. As cores são pensadas por gente bem antenada, portanto podem ser ótimos substitutos para aqueles batons-tendência que custam os olhos da cara, os órgãos vitais, etc.

A edição é limitada e as vendas são pelo site. Corra, portanto!

Convite-balão!

Essa deve ser uma das idéias mais divertidas do universo, né? Já pensou, você abrindo a caixinha e saindo um balãozinho de gás hélio com o convitinho na ponta? Queria fazer aniversário já só pra poder botar a idéia em prática! Claro que a idéia pode dar muito certo pra outros tipos de comemoração também. O único detalhe inconveniente seria ter que entregar o convite em mãos, já que o gás hélio no balão só duraria algumas horas. Mas a idéia é demais de qualquer forma, né?

Via Pinterest.

BHLDN

A linha Bridal da Anthropologie é a mais nova invenção americana enlouquecendo as noivinhas por aí. Depois de tanto ver as noivas se inspirarem em suas vitrines e catálogos descolados, finalmente caiu a ficha da marca pra lançar aquilo que a mulherada sonhava há tempos: uma linha Bridal!

Eu gosto muito da proposta da BHLDN (pronuncia-se Beholden). Certamente bebem da mesma fonte que a linha Bridal da também apaixonante J. Crew, onde você paga bem menos por um design moderno com acabamento top. Claro que esse “bem menos” só é bem menos quando comparado a estilistas bridal renomados, que fazem alta-costura, como Vera Wang, Monique Lhuillier, Carolina Herrera, etc… Se você for comparar com um David’s Bridal da vida, que é beeeem menos interessante, não é uma pechincha, mas em termos de bom gosto e qualidade, vale a pena jogar mais uns mil dolarezinhos pra J. Crew e BHLDN.

O mais legal é que tem de tudo: vestidos de noiva, vestidos para madrinhas, sapatos, acessórios de cabelo, boleros, lingeries e jóias. Tudo com uma pegada mais alternativa, característica já conhecida na Anthropologie. Felicidade instantânea! O site é lindo, seduz de primeira! E você ainda pode conhecer um pouco mais das diferentes coleções dentro do site fazendo um teste (em inglês, claro!) pra saber que tipo de noiva você é. Coisa básica, respondi umas cinco perguntinhas, e – PASMEM! – nunca recebi uma leitura da minha “personalidade de noiva” tão apurada. Era exatamente o que eu sentia e queria. Fantástico! Merece uma salva de palmas só por esse detalhe! hehehe…

Pra quem ficou curioso, eis meu resultado! Se quiser passar lá pra conferir essas belezuras todas, eis o link! Quem fizer o teste, venha me contar depois se o resultado também foi acertado! 😉

Pra ver o meu resultado em tamanho grande é só clicar na imagem!

Segue a minha tradução (livre):

“Seu senso de estilo é forte, mas a sua visão de sofisticação é relaxada. Experimentação e descoberta escorrem pelas araras do seu armário. Então a sua roupa mais importante não é um longo nem um vestido. É todo um visual! Pode ser suavemente estruturado ou levemente amarrotado. Mas é melhor quando junta um mix de materiais e texturas -brilhos metálicos, tricôs e pedras… Seja salpicado de luz através de um pergolado enfeitado com jasmin, ou pelo brilho de lanternas e estrelas, o seu evento parece ser uma produção teatral, mas a sensação é despretenciosa e de espontaneidade. Vinhos ousados, cores ricas e um quarteto de cordas encantam seu prometido, família e amigos.”

É bem por aí mesmo, BHLDN. Thanks!

A saga videográfica

Uma vez li uma coisa muito certa: Todo casal que vai casar alguma vez já pensou em não ter vídeo no casamento pra economizar. Isso acontece porque, desde os primórdios, vídeo de casamento é uma coisa chata, brega, insuportável de assistir e que ainda custa caro. Acredite em mim, apesar de ainda ser uma coisa cara, hoje a coisa melhorou muito desde aquela época em que a trilha sonora do vídeo de casamento era música do Kenny G. E, por mais que a gente ache que contratando um fotógrafo sensacional (o que é o meu caso! iupi!) o vídeo do casamento não vai fazer falta, ele faz sim. É o registro do seu dia com sons e movimentos, fiel à realidade, seja ela emocionante ou uma videocassetada de casamento! No futuro, seus filhos poderão assistir ao vídeo e ouvir “como a voz do papai e da mamãe era diferente” ou coisa assim, citando o argumento muito válido da nossa linda fotógrafa, Rejane Wolff.

Meu sonho era mesmo ter a equipe do Stillmotion no meu casamento. E eles, definitivamente, ficariam muito felizes de realizar esse meu sonho, desde que eu pague a bagatela de 20 mil reais. Infelizmente, se eu resolvesse trazer o Stillmotion pro meu casório, provavelmente teria que casar de calça jeans e allstar na igreja do meu tio, porque seria de graça, e serviria hotpocket da Sadia na recepção! Hehehehe…

Achar um bom videógrafo no Brasil é bem mais difícil que achar um bom fotógrafo. Posso contar nos dedos das mãos e dos pés os fotógrafos do Brasil que, além de produzirem imagens de qualidade sensacional, ainda tem as manhas de captar aqueles momentos que dinheiro nenhum pode pagar, sem ser aquela coisa clichê que se vê em 8 de cada 10 álbuns. São fotógrafos que realmente contam histórias através de seus álbuns. Eles estão ali para documentar o dia mais importante da sua vida, interferindo o mínimo possível. Claro que eles podem “dirigir” algumas fotos, pedir que pose assim ou assado, mas ainda assim ele tem que ter a sensibilidade de captar não só aquele movimento ensaiado, mas as pessoas e os olhares que jamais se ensaiam. Isso que é gostoso de ver num álbum de casamento, pelo menos na minha opinião. E para isso não basta só ter o melhor equipamento e técnica. Isso é puro feeling, sensibilidade mesmo.

Com o vídeo, o drama é similar. Você tem que encontrar o profissional que capte imagens de qualidade, aquelas que hipnotizam o olhar de tão bonitas. Mas não basta só isso. É preciso encontrar a melhor edição, com os melhores métodos de captação de áudio, as idéias mais frescas e as cenas mais espontâneas. Pós-produção em vídeo de casamento é 50% do jogo. Não é tão fácil achar esses bons profissionais de vídeo aqui no Brasil, principalmente quando a internet facilita o acesso aos vídeos de profissionais estrangeiros do cacife de Cana Video, Joel Serrato e StillMotion, a gente acaba ficando ressentido com as poucas opções que nos são oferecidas aqui.

O Nando Federice escreveu uma vez um post com informações pra ajudar a entender os tipos de vídeo de casamento e os diferentes métodos de trabalho usado pelos profissionais da área. É um relato muito bom pra quem não entende muito do assunto e te põe a faca e o queijo na mão pra hora de fazer a “sabatina” no videógrafo que se pretende contratar. É bom assistir mais do que somente um “trailer” dos vídeos que o profissional faz. Se puder, veja os vídeos na íntegra, repare em tudo e tenha em mente o que você quer e o que não quer no seu vídeo. Faça sua lição de casa e tenha noção total de como você gostaria que fosse seu vídeo.

E uma coisa muito importante que é pouco falada: OS NOIVOS FAZEM TODA A DIFERENÇA! Sim! Vocês são os atores principais desse filme, então vocês tem que fazer valer esse posto de protagonista, né?

Vou exemplificar. Ontem eu estava assistindo o vídeo de casamento de um amigo, o Marcos Botelho. O vídeo dele foi feito por um profissional do Rio de Janeiro (ele casou lá), o Edu Corrêa. O trailer já foi ótimo: as imagens em alta definição, edição super alto astral, divertido… Aí o Marcos publicou o vídeo integral do casório, com 30 minutos de duração. E é simplesmente um dos melhores vídeos de casamento que eu já vi. Sério, assisti sem bocejar nenhum minuto. Me emocionei e dei risada junto com meu noivo. Pensei: “Uau, é esse o cara que eu quero que filme meu casamento! Tem que ser ele!” Fiz um orçamento e veio o veredito: Edu não tinha mais a minha data disponível pra filmar em SP. Deu vontade de chorar, um desespero de não conseguir encontrar mais ninguém que tivesse esse “estilo”. Aí fui olhar o site de um outro videógrafo muito bom de Campinas, com quem eu já havia feito contato anterior. Os vídeos dele também tinham imagens lindas e em alta definição, mas faltava alguma coisa que eu não sabia explicar. Quando voltei ao site do Edu Corrêa e fui assistir vídeos de outros casais que ele já filmou, constatei: NENHUM deles era legal como o vídeo do Marcos e sua esposa! Sabe qual era a diferença? O casal! A qualidade dos vídeos era a mesma do meu videógrafo de Campinas, o estilo de edição era parecido e tudo o mais… A única coisa que mudava: a energia do casal.

Um casal sem graça nunca terá um vídeo super divertido, não importa quem eles contratem pra filmar o casório. É preciso se soltar diante das câmeras. É preciso assumir sua parcela de responsabilidade sobre o vídeo de casamento e se emocionar, relaxar, sorrir, chorar, fazer careta e amar diante das câmeras, sem vergonha de ser você mesmo. A Sammia fala mais sobre isso em seu blog, onde publicou um guia de filmagem de casamento INDISPENSÁVEL, dividido em dois posts: 1 e 2. Eu recomendo altamente que você que está enlouquecida procurando um videógrafo bom, vá lá e leia TUDO antes de fechar com quem quer que seja (a não ser que seja StillMotion! Aí pode pular essa fase! hahaha!). E bom vídeo pra você. 😉